A dramaturgia performática de Éder Rodrigues assume tanto a escrita autoral como também o trabalho desenvolvido junto a coletivos  teatrais contemporâneos. A recorrência poética e o diálogo entre as múltiplas linguagens cênicas consolidam um repertório em consonância com o contexto emergente e com as formas de ressignificação das artes da presença na atualidade. Agraciado com o Prêmio SESC/SATED 2011 de Melhor Texto Inédito do Ano e indicado a vários outros prêmios como o Prêmio do SINPARC Sindicato dos Produtores de Minas Gerais (2011/2012/2018), seus textos ganharam os palco em montagens teatrais nas cinco regiões do Brasil, além de ter participado dos principais festivais de circuito teatral contemporâneo como o FRINGE, FIT Festival Internacional de Belo Horizonte/MG FIT, festivais do cone sul latino-americano, dentre outros. 

TODO REDEMOINHO COMEÇA COM UM SOPRO [2020]

Sinopse: Na peça, os personagens precisam esvaziar um imóvel, após a partida da moradora. Seria um gesto simples, se não fossem os desejos engavetados, os vazios varridos para debaixo do tapete e tantas estrelas caídas na varanda. O que parecia apenas um inventário cotidiano do fim de um ciclo, acaba se revelando um mergulho em cada um dos detalhes, abismos e descobertas estranhamente encaixotados.

PEDRA BRUTA – ENSAIO PARA COLHER O PROVISÓRIO DAS COISAS [2018]

Sinopse: Enquanto a natureza de um grito coletivo é lapidada, o teatro desponta para iluminar a superfície dos olhos e aquele açúcar que fica no fundo. O estado bruto se torna a matéria tanto das pequenas violências cotidianas quanto da nossa capacidade de moldar o tempo que resta. Este espetáculo é um encontro onde o palco se transforma no instante incontornável para se falar sobre tudo o que poderíamos ser, se o mundo soubesse colher a brutalidade das pedras.

Ficha técnica

Direção:
Nill Amaral
Dramaturgia:
Éder Rodrigues
Produção:
Cia. OFIT
Estreia:
05/05/2018 – 171 Teatro Aracy Balabanian – Mato Grosso/MS

HAPPY HOUR [2017]

Sinopse

O encontro ocasional de dois homens para um Happy Hour acaba desencadeando um duelo vicioso cercado de discursos de autoafirmação, estereótipos e conceitos pré-moldados. O esforço de ambos em manter a todo custo uma simbologia do “masculino” evidencia como o exercício doente dessa manutenção enraíza e incita a violência. No caminho que percorrem, as piadas, as provações e as cartadas pertencentes ao imaginário machista são desveladas, ao mesmo tempo em que os próprios personagens se revelam como deploráveis exemplos dessa sociopatia. A peça promove um tour labiríntico pelo imaginário masculino criado socialmente, além de expor a hipocrisia, as fissuras e os extremismos decorrentes dessa construção que, numa linha muito tênue, vai do engraçado à barbárie.

Ficha técnica

Direção: Éder Rodrigues e Sérgio Nicácio
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Em cena: Didi Vilela e Fabrício Trindade
Produção: MAYOMBE GRUPO DE TEATRO
Estreia: 19/05/2017 – 171 Espaço Cultural – Belo Horizonte/MG

A MULHER QUE ANDAVA EM CÍRCULOS [2016]

Sinopse

Ela andava em círculos. Ela era o próprio círculo em que andava. Andou tanto que perdeu a noção se ia ou se voltava. Uma mulher que anda meio esquecida passa por sessões de lembrança para recuperar pedaços de seu trajeto.  Este trabalho traz para o palco a memória coletiva e a estética dos prospectos do teatro político na América Latina. O monólogo conduz o espectador para ambiências políticas, afetivas e existenciais da protagonista, de onde surgirão questionamentos que serão desenhados no conflito entre a memória e o esquecimento. Com esta montagem, o Mayombe ratifica sua trajetória cênica, agora partindo da memória individual (perdida) para a coletiva que sofre processos semelhantes, promovendo assim o percurso inverso de quando o tempo deixa de ser uma filosofia e passa a evidenciar sua contagem regressiva no próprio corpo. Uma reflexão sobre o tempo, as utopias e as coisas que vão ficando pelo caminho.

Ficha técnica

Direção: Sara Rojo
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Em cena: Marina Viana
Produção: MAYOMBE GRUPO DE TEATRO
Estreia: /20/2016 – 171 Espaço Cultural – Belo Horizonte/MG

TRÊS VÍRGULA QUATRO GRAUS NA ESCALA RICHTER [2016]

Sinopse

A senhora Madona toma uma decisão importante que irá mudar o curso das relações estabelecidas no seio familiar. Para não recuar da secular decisão, ela contrata um serviço especializado em despedidas. O que parecia simples e instantâneo, acaba revelando um jogo de representações, papéis e coisas nunca ditas que ameaçam abalar sensivelmente as tradicionais estruturas de nossas certezas. Cada passo dentro dessa casa é um pouco de nossas fragilidades e esquecimentos que desaba. O 6° espetáculo da Cia. OFIT tem direção de Nill Amaral, dramaturgia de Éder Rodrigues e marca uma parceria apoiada no viés poético e irônico para emocionar e refletir sobre os silêncios contemporâneos. Pela autoria da peça, Éder Rodrigues recebeu a indicação de finalista do Prêmio Guarulhos de Literatura 2019.

Ficha técnica

Direção: Nill Amaral
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Nadja Mitidiero, Luciana Kreutzer, Leandro Faria, Aline Calixto, Camila Schneider, Geraldo Saldanha.
Produção: OFIT
Estreia: 04/02/2016 – Teatro Prosa SESC Horto – Campo Grande/MS
Prêmios: Prêmio FUNARTE Miriam Muniz

ATÉ O FIM [2015]

Sinopse

Até o Fim – Desencontro marcado disfarçado de monólogo  propõe uma observação da realidade reproduzindo com veracidade a situação de um ser humano adicto, seus comportamentos e os abismos existenciais que o coagem. Trata-se de um levantamento autêntico e documental, onde os assuntos evocam emoções fortes e angustiantes que, por vezes, joga com os prenúncios da morte e as rotas de fuga. A dramaturgia gira em torno da linha poética que aventura nas interações humanas e que mais propriamente tenta desvendar a ligação entre o uso de substâncias químicas, carências afetivas e as relações contemporâneas. A peça integrou a programação do Festival Internacional Del Teatro de Integración 2015, em Formosa/Argentina.

Ficha técnica

Direção: Adilson Siqueira
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Emmanuel Mayer
Estreia: 16/04/2015 – Espaço Alternativo TGR – Campo Grande/MS

TOADA PARA RECOLHER RASTROS DO CÉU [2015]

Sinopse

Ao embaralhar referências do interior mineiro e de MS, a peça busca emergir a espacialidade rupestre que o autor do conto evoca ao narrar a história de um vaqueiro e sua labiríntica andança atrás de um suposto milagre repentino. A trama segue os rastros desse sertanejo após ser iluminado por intervenções de outra ordem. A toada evidencia traços de um regionalismo forte, de um coloquialismo identitário com aspectos poéticos. A peça é uma adaptação do conto “O santo que não tinha os pés”, do escritor campo-grandense Reginaldo Costa de Albuquerque.

Ficha técnica

Direção: Nill Amaral
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Paulo Porto, Júnior Souza, Alyson Felipe, Rodrigo Alves
Estreia: 19/03/2015 – Dourados/MS

AGORA OU NUNCA [2014]

Sinopse

A peça conta a história de Edu e Lia que, depois de muito tempo conectados pela rede, marcam de se encontrar no coração da cidade, Eles eram bem diferentes, moravam longe do centro e em locais opostos. Ambos também nunca tinham prestado atenção no trânsito ao redor até aquele dia em que tudo parecia dar errado. Pelo caminho, encontram o agente de trânsito que lhes traz várias informações sobre os percalços do caminho. Será que vai dar tempo? Uma comédia infantojuvenil sobre os trânsitos do amor, um encontro marcado pela rede e tudo que acontece pelo caminho.

Texto Teatral escrita para o Projeto CARAVANA – BH/TRANS

Peça Infanto-Juvenil

PÁSSARO FORA DO AR [2014/2013]

Sinopse

O premiado monólogo leva a plateia para um ambiente solitário e cinzento, onde pelas grades da memória tornam-se audíveis os pios de uma criança e os fragmentos esparsos da sua relação com a figura paterna. O aprimoramento das emoções e da evolução natural da infância constrói um ambiente de metamorfose entre a condição de menino e a de pássaro, além de aspectos reveladores de uma atmosfera opressiva que transita entre o real e o imaginário.

Ficha técnica

Direção e Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Cláudio Miranda
Produção: Núcleo Curare de Provocações Teatrais
Estreia: Espetáculo [2014] – Cena Curta [2013]
Prêmios: Premiado do Festival de Cenas Curtas de Araçatuba 2013 – X FECTA – VI Festival de Breves Cenas de Manaus/AM – 7° Festival Niterói em Cena

NADA A DECLARAR A NÃO SER QUE CHOVE [2013]

Sinopse

O espetáculo é uma fábula sobre o amor na contemporaneidade. A trama tece umidades e superfícies acerca de uma mulher que ancora sua existência na descrença do universo amoroso perante a “imediatez” dos dias atuais, enquanto outros quatro personagens tentam convencê-la do contrário diante de episódios que remetem ao universo cinematográfico, aos clichês recorrentes, aos estereótipos e às referências do entorno. Trata-se de tentativas insistentes de mergulhar no movediço do amor, impedir o desfecho trágico previamente anunciado e fazer cessar uma chuva insistente que aumenta a cada interrogação revisitada. 

Ficha técnica

Direção: Gil Esper
Dramaturgia: Éder Rodrigues & Marina Viana
Elenco: Joisce Dias, Danilo Raldi, Vinicius Oliveira, Zezinho Martins, Jorge Nilson
Produção: Cia Avatz de Teatro
Estreia: 30/10/2013 – Local: Teatro Municipal de Dourados/MS

AO PERSISTIREM OS SINTOMAS [2013]

Sinopse

O texto subverte a linhagem dramática e apresenta um sorteio de comprimidos, bulas e sintomas que traça um retrato das relações contemporâneas e todas as vias possíveis de se pedir socorro. As personagens se diluem num copo d’água e passam a dizer tudo aquilo que transborda quando se dilatam as pupilas e todos os poros do corpo. A peça integrou a programação do projeto Janela de Dramaturgia 2013 e foi publicado pela Editora Perspectiva.

Ficha técnica

Peça apresentada no II Janela de Dramaturgia

Curadoria: Vinícus Souza e Sara Pinheiro
Elenco: Marina Viana, Lira Ribas, Júlio Viana
Apresentação: 11/06/2013 – Sede Teatro Espanca – Belo Horizonte/MG
Texto publicado na Antologia II do Janela de Dramaturgia pela Editora Perspectiva

KLÁSSICO [COM K] [2013]

Sinopse

O espetáculo apresenta a trajetória cênica dos personagens Medeia, Antígona, Ulisses e Fausto, em diálogo com a subjetividade dos atores. Na arena-show instaurada em cena, os atores se lançam na arriscada jogada de voltar aos textos clássicos e transitar por questões contemporâneas, políticas, estéticas e filosóficas.  O objetivo desse jogo é levar o público a adentrar, junto com os atores-jogadores, esse vasto universo de personagens, atores, jogadas e conflitos. A peça participou dos principais festivais do circuito nacional entre os anos de 2012 a 2014.

Ficha técnica

Direção: Sara Rojo
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Marina Viana, Didi Vilela, Marina Artuzzi, Flávia Almeida, Fernando Oliveira
Produção: MAYOMBE GRUPO DE TEATRO
Estreia: 18/04/2013 – Esquyna Espaço Cultural – Belo Horizonte/MG
Prêmios: Indicado ao Prêmio SINPARC/MG na categoria Melhor Direção

TRATADO DAS INCORPÓREAS SUB[VERSÕES]

Sinopse

Dança-Teatro-Performance. Os registros imagéticos que compõem o trabalho perfazem um trajeto pluridimensional entre as linguagens artísticas e os reflexos no corpo da intérprete. O repertório de movimentos traça no espaço uma atmosfera subjetiva e delicada que re[cria] nuances sugestivas onde performam o feminino, as fronteiras coreográficas e o universo cotidiano das receitas.

Ficha técnica

Espetáculo da Dança Contemporânea/Performance
Direção e Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Andréa Melo
Estreia: 21/05/2013 Local: Casa de Cultura Ivan Marrocos [Porto Velho/RO]

BETWEEN: DIÁLOGOS CÊNICOS [2013]

Sinopse

Uma performance que faz do jogo de vôlei o próprio espetáculo. Uma leitura irreverente do esporte, seus movimentos e situações, trazendo ao público o universo espetacular de um jogo. As emoções dos atletas se tornam fisicalidade no corpo dos performers que apresentam muito mais que uma partida.

Ficha técnica

Performance
Direção: Lira Ribas
Dramaturgia: Éder Rodrigues e Lira Ribas
Estreia: 2013 – Praça da Liberdade – Belo Horizonte/MG

ARGONAUTAS DE UM MUNDO SÓ [2012]

Sinopse

Pela tela de seus dispositivos móveis, pela janela de seu quarto, pelo espelho, pelo calor advindo de um disco rígido entorpecido e inquietante, pelo olhar difuso e sem foco (mesmo com megabytes e megapixels admiráveis), essas personagens anseiam e promovem encontros e buscas infinitas e socialmente acolhedoras, fomentando sua própria sorte/vício/tentação”.Depoimentos intimistas, registros audiovisuais, partituras corpóreas e intensa articulação entre atores, espaço e objetos compõem a linguagem fragmentada, em histórias entrelaçadas por tensões, ambiguidades e afetos.

Ficha técnica

Direção: Júlio Viana
Dramaturgia: Éder Rodrigues e Júlio Viana
Elenco: Alexandre Vasconcelos, Flávia Fernandes, Glauco Mattos, Priscila D’Agostini
Produção: O COLETIVO PRODUÇÕES
Estreia: 06/12/2012 – Spetáculo Casa de Artes – Belo Horizonte/MG

E PEÇA QUE NOS PERDOE… [2012]

Sinopse

Numa atmosfera onde é sempre noite, uma tradicional família se esforça para comemorar o aniversário da filha caçula em meio a fatos estranhos, desejos dormentes e acontecimentos inusitados, onde não é possível definir o que é realidade ou delírio, nascimento ou morte, festa ou enterro. Seja bem vindo a uma casa onde nada é o que parece ser. Não precisa bater. Entre e siga os rastros de luz. No escuro ninguém está sozinho. O espetáculo mistura elementos da dança-teatro com uma estética com influências expressionistas. Indicado a 5 Prêmios do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas SINPARC 2012 – incluindo Melhor Dramaturgia (Éder Rodrigues). Vencedor do Prêmio SINPARC de Melhor Direção, pára Lira Ribas.

Direção: Lira Ribas
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Lira Ribas, Fernando Barcelos, Rafael Blaytner, Michele Barreto, Guilherme Carvalho
Estreia: 18/08/2012 – Ideal Café Teatro – Belo Horizonte/MG
Prêmios: Prêmio do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas SINPARC Melhor Direção
Indicado ao Prêmio SINPARC nas categorias: Melhor Espetáculo, Melhor Dramaturgia, Melhor Figurino, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor iluminação.
Integrou Programação do Festival Internacional de Teatro – FIT 2014.

DIÁRIO DE IN-SÔNIAS [2011]

Sinopse

Livremente inspirado na peça Valsa n° 06, de Nelson Rodrigues, o espetáculo fragmenta o percurso de três atrizes em meio às neuroses, memórias e traumas que sucumbem perante o contato com a personagem Sônia. Os escritos dos diários atravessam a performance tensa e claustrofóbica que a montagem sugere.

Ficha técnica

Direção e Adaptação Dramatúrgica: Éder Rodrigues
Elenco: Melissa Barbosa, Amanda Norbiatto, Fernando Prado
Estreia: 27/06/2011 – Sala UNIR – Porto Velho/RO

A PEQUENINA AMÉRICA E SUA AVÓ $IFRADA DE ESCRÚPULOS [2010]

Sinopse

O premiado espetáculo do Mayombe Grupo de Teatro reconta a história da América Latina a partir de uma versão irônica, poética e ressignificada de seus próprios rastros. América é uma menina com a linha do equador no umbigo. Neta roubada por uma velha $ifrada no peito e nos olhos, cresce ao lado de uma Avó que passa a acumular as dívidas dessa adoção. Prepara-se para uma encruzilhada que segue léguas tiranas que irá levá-la por lugares e pessoas até rachar seu tênis Nike que foi seu dote de casamento. Escrita por Éder Rodrigues, Marina Viana e Marcos Coletta, a peça conquistou indicação e os principais prêmios do circuito teatral mineiro de 2011, incluindo o Prêmio SESC/SATED 2011 de Melhor Texto Encenado do ano. Integrou a programação do FRINGE/Curitiba/PR e do Festival Internacional de Teatro FIT/Belo Horizonte/MG.

Ficha técnica

Direção: Sara Rojo
Dramaturgia: Éder Rodrigues, Marina Viana, Marcos Coleta
Elenco: Marina Artuzzi, Marina Viana, Marcos Alexandre, Henrique Limadre, Marcos Coletta. Fernando Oliveira.
Produção: Mayombe Grupo de Teatro
Estreia: 15/05/2010 – Esquyna Espaço Cultural – Belo Horizonte/MG
Prêmios: Prêmio SESC/SATED de Melhor Texto Inédito
Prêmio SINPARC de Melhor Atriz
Prêmio Mixórdia de Teatro
Indicações:

16° Prêmio SESC/SATED [Melhor Espetáculo/Melhor Direção/Melhor Atriz] –
8° Prêmio SINPARC [Melhor Espetáculo/Melhor Direção/
Melhor Dramaturgia/Melhor Ator Coadjuvante/Melhor figurino]
Integrou Programação do Festival Internacional de Teatro – FIT 2012

OLHO MÁGICO [2007]

Sinopse

O espetáculo gira em torno de três personagens que, em seus encontros e desencontros dentro de um elevador, revelam suas verdades e fragilidades. Dentro desse elevador, uma garrafa serve de pretexto para as poesias individuais que vão sendo apresentadas. Em “Olho Mágico”, a 3X4 Cia. de Teatro investiga uma dramaturgia não-linear e recorre a recursos cinematográficos para a encenação. A peça mostra três personagens em histórias pessoais, mas tudo é apresentado de forma recortada, as cenas vêm e vão no tempo, criando lacunas propositais para que o próprio espectador possa estruturar essas peças formando a estrutura que acreditar ser a melhor.

Ficha técnica

Direção: Wester Castro
Dramaturgia: Éder Rodrigues
Elenco: Nando Mota, Jéssica Azevedo, Douglas Santos
Produção: Cia 3X4
Estreia: 06/09/2007 – Espaço Caixa Clara – Belo Horizonte/MG

POR ESTA PORTA ESTAR FECHADA AS OUTRAS TIVERAM QUE SE ABRIR [2007]

Sinopse

O espetáculo parte do inesperado para tratar justamente das esperas que vão sendo tecidas numa noite de domingo em que uma das portas de um corredor não se abre. Essa é a forma pela qual a peça mergulho no ser humano que se contradiz diante dos inúmeros caminhos que o cercam. A partir daí: memórias que pulsam, desejos que escapam, corpos que se desnudam, vestidos e ilusões, uma planta no canto, o medo dos discursos e a dificuldade de relacionar-se. Bater em uma porta que não se abre. Perder-se em um corredor de possibilidades. Deparar-se com o fim das coisas e o fim da existência. Um convite para uma noite estranha, com pessoas sozinhas e suas portas.

Ficha técnica

Direção: Sara Rojo
Dramaturgia: Éder Rodrigues, Júnia Pereira, Fabiane Aguiar, Fabiana Amorim
Elenco: Marina Viana, Gil Esper, Éder Rodrigues, Fabiane Aguiar, Marcos Alexandre, Marcos Coletta, Henrique Limadre, Fernando Oliveira, Júnior Lopes
Produção: MAYOMBE GRUPO DE TEATRO
Estreia: 04/05/2007 – Espaço Odeon – Belo Horizonte/MG
Prêmios: Indicado ao Prêmio do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas SINPARC nas categorias: Melhor Atriz/Melhor Atriz Coadjuvante/ Melhor Iluminação/ Melhor Cenário.

ADAPTAÇÕES DRAMATÚRGICAS

DIÁRIO DE ALDA [CACOS NO ABISMO][2015]

Ficha técnica

Direção: João Marcos Dadico
Inspirado na obra: Teoria Geral do Esquecimento de José Eduardo Agualusa
Adaptação Dramatúrgica: Éder Rodrigues
Elenco: Rosi Leal, Casimiro Vicente dos Santos
Estreia: 21/08/2015 – Studio Blanche Torres – Dourados/MS

GOTA D’ÁGUA [2013]

Ficha técnica

Direção: Nill Amaral
Texto: Chico Buarque & Paulo Pontes
Adaptação Dramatúrgica: Éder Rodrigues
Produção: OFIT
Estreia: 08/02/2013 – Dourados/MS
Prêmios: Prêmio FUNARTE Miriam Muniz

CONSULTORIAS DRAMATÚRGICAS

FÁBRICA DE CIMENTO [2014]

Ficha técnica

Direção: Lenine Martins
Consultoria Dramatúrgica: Éder Rodrigues
Estreia: 25/09/2014 – Espaço Alternativo Mercado Novo – BH/MG

NA PONTA DO PÉ [2014]

Ficha técnica

Direção: Bruno Costa
Texto: Gabriella Slovick
Consultoria Dramatúrgica: Éder Rodrigues
Elenco: Raruza Kiara, Thales Rocha, Naiara Silva
Estreia: 2014 – São João Del Rey/MG

CASA DO SOL [2010]

Ficha técnica

Direção: Wester Castro
Dramaturgia: O grupo
Textos: Hilda Hilst
Consultoria Dramatúrgica: Éder Rodrigues
Elenco: Elba Rocha e Aretuza Lemini
Estreia: 2010 – Belo Horizonte/MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.